Polícia pede prisão preventiva de motociclista envolvido em acidente que terminou na morte de jovem de 19 anos

Segundo a PC, o investigado não possui habilitação, transitava em velocidade incompatível com a via, desrespeitou sinalização de parada obrigatória, momentos antes do acidente realizava manobras em uma só roda e depois do acidente omitiu socorro. Para a Polícia Civil, o investigado assumiu o risco de matar a passageira

Por Da redação 26/11/2019 - 17:47 hs
Foto: Divulgação / Polícia Civil
Polícia pede prisão preventiva de motociclista envolvido em acidente que terminou na morte de jovem de 19 anos
Segundo a PC, câmeras de segurança flagraram motociclista empinando a moto pouco antes do acidente

A Polícia Civil representou pela prisão preventiva de R.M.J., de 21 anos. Para a PC ele provocou a morte de K.L.S., de 19 anos,  nesta segunda (25). Ainda de acordo com a polícia, o motociclista conduzia uma moto Honda CG 160 Start, cor preta, pela rua Luiz Colombo, com velocidade incompatível com a via e não respeitando a sinalização de parada obrigatória, trazendo a vítima como passageira. Na interseção com a rua Dona Maroca, R.M.J. desobedeceu à sinalização, e foram atingidos por uma caminhonete Chevrolet S10 LT DD4A que se deslocava por aquela via (rua Dona Maroca). O motorista fugiu, mas depois se entregou à Polícia. A vítima foi socorrida, mas faleceu no pronto atendimento.


Nesta terça (26), a equipe da Delegacia de Trânsito conseguiu ter acesso às imagens captadas por câmeras de segurança privadas. Em uma delas, foi possível visualizar o motociclista dirigindo a moto, trazendo a vítima na garupa, percorrendo em alta velocidade e em apenas uma roda.


Para Polícia Civil, a soma destes fatores indica que o motociclista assumiu o risco de produzir o resultado morte. "Quando o condutor de uma motocicleta, sem ser habilitado, invade uma rua em velocidade incompatível, desrespeita a sinalização de parada obrigatória e causa a morte de uma pessoa, ele assume o risco do resultado".


PRISÃO PREVENTIVA


De acordo com a Polícia Civil, a resposta do Estado tem que ser proporcional ao ato ilícito cometido. "No caso, o crime é grave, com fortes elementos de ter sido cometido com dolo eventual (quando o investigado assume o risco). A condição de eventual liberdade do investigado poderá simbolizar que o Estado coaduna com estes comportamentos. Condutas como a do investigado, reiteradamente, têm machucado e matado pessoas em Araxá. É preciso reforçar o caráter preventivo do direito penal enquanto mecanismo para desestimular comportamentos perniciosos, que atentam contra a paz pública, como o adotado pelo investigado"


AUMENTO NO NÚMERO DE ACIDENTES EM ARAXÁ


Recentemente, ocorreram vários acidentes de trânsito nesta região que resultaram em mortes. No início do mês, uma jovem faleceu na avenida Vereador João Sena. Estando na garupa dirigida pelo companheiro, a vítima foi arremessada e morreu no local.


Levantamento feito pela Polícia Civil revelou um aumento de 7,7% no número de acidentes de trânsito com vítima. Em 2018, de janeiro a outubro, foram 399. Neste ano, no mesmo período, esse número aumentou para 430.  A maioria destes crimes demonstra o motivo principal para sua ocorrência, que é a imprudência dos motoristas, a falta de cuidado com a coletividade e o desrespeito às leis de trânsito.


Fonte: Polícia Civil